Artigos | Voltar
 

Varizes de membros inferiores

As varizes de membros inferiores são veias permanentemente dilatadas e tortuosas e, portanto, doentes de forma definitiva. Em estudos americanos, estima-se a presença de veias varicosas em 10 a 20% da população daquele país.

Esta doença caracteriza-se por dor em peso ou cansaço em membros inferiores, muitas vezes associada a inchaço no final do dia. É, nos casos mais graves, acompanhada de coceira e escurecimento da pele. As varizes têm como conseqüências mais sérias as flebites (inflamação da veia), as úlceras (feridas) de pernas e as tromboses venosas profundas (TVPs).
A hereditariedade das varizes é bem definida. Porém, não basta apenas a predisposição para o desenvolvimento da doença, deve haver, associadamente, fatores desencadeantes. Os mais comuns são: ficar em pé ou sentado por tempo prolongado durante o dia, ganho de peso, gestações, uso freqüente do mesmo salto alto, sobrecargas das pernas em atividades físicas e outros.

A prevenção das varizes e de suas complicações é simples e deve ser habitual a sua realização. Consiste no controle ponderal, em atividades físicas que não sobrecarreguem as pernas (caminhadas, natação, hidroginástica e outros), movimentação dos pés no decorrer do dia de forma a movimentar as panturrilhas e o uso da meia ou faixa elástica.

O tratamento das varizes depende do comprometimento de cada caso. Nos mais leves a terapêutica clínica pode ser instituída. Naqueles casos moderados e graves a cirurgia pode ser indicada. Deve sempre ser levada em conta a condição geral dos pacientes para que se possa indicar a cirurgia. Todo esforço deve ser feito no intuito de transformar o ato operatório em uma ocasião absolutamente tranqüila para o paciente.

Cabe ressaltar que a associação de varizes com tabagismo e uso de hormônios femininos é altamente trombogênica, ou seja, deixa o paciente com uma maior predisposição para flebites e trombose venosa profunda.
Em caso de varizes o especialista deverá ser consultado para que suas dúvidas sejam sanadas e as complicações evitadas. Só ele sabe o melhor tratamento para o seu caso.


Dr. Hussein Amin Orra – CRM 78313

Cirurgião Vascular pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP
Doutor em Medicina pela Faculdade de Medicina da USP
Cirurgião Vascular do Hospital Ribeirão Pires